Resenha: Almanegra – Jodi Meadows


Ana sempre foi a única. Marginalizada. Apartada. E, para piorar, após o Escurecimento do Templo causado por seu pai, vários cidadãos de Heart a culpam pela perda definitiva de algumas almas, as almasnegras — e pelas almasnovas que nascerão em seu lugar. Muitos temem a presença de Ana, um lembrete constante das mudanças irreversíveis. E quando as sílfides começam a se comportar de maneira diferente em relação a ela, Ana terá que aprender não apenas a se defender como àqueles que não podem fazer isso por si mesmos. Ana aprendeu desde cedo que os sem-alma não podem amar. Mas, e as almasnovas? Mais do que tudo, ela deseja ter a chance de viver e amar como qualquer outro cidadão de Heart, porém mesmo depois de Sam declarar seus mais profundos sentimentos, será que ela conseguirá superar uma vida inteira de rejeição e aceitar o amor? Almanegra explora a beleza e as profundezas sombrias da alma, numa história que é ao mesmo tempo um romance épico e uma fantasia cativante.

Almanegra (Asunder), escrito pela autora Jodi Meadows e publicado pela Editora Valentina, é o segundo livro da trilogia Incarnate. O enredo, basicamente distópico, aborda romance, reencarnação e preconceito de forma bem interessante.
Leia também: resenha de Almanova

Em Almanova, primeiro livro da trilogia Incarnate, conhecemos Ana, a primeira alma a nascer sem reencarnar, isto é, ao contrário dos outros moradores de Heart, ela não viveu outras vidas. Para a cidade, isto é algo novo e incompreensível, afinal, para onde teria ido a alma que deveria ter reencarnado no corpo de Ana? Não bastasse essa novidade, o Templo responsável por todo este ciclo parece guardar segredos sinistros. Ana é odiada e sofre com olhares e atitudes maldosas da sociedade, mas nem todas as pessoas de Heart são preconceituosas. Ao lado de Sam e alguns poucos amigos, ela começa a investigar o mistério acerca de sua existência e, por consequência também descobre uma pequena conspiração. O segundo livro traz uma Ana mais firme e consciente de seu lugar na sociedade. Ainda que pouco saiba sobre sua vida, cada detalhe parece se unir a um quebra-cabeças muito maior do que qualquer cidadão poderia supor.
“– Elas estão nos vigiando. – Peguei minha lanterna sobre a mesinha de cabeceira, girei o tubo para ajustar o foco e apontei o feixe de luz para a mata.
As sombras se moveram, gritando e choramingando, mas não se aproximaram. Assim que tirei a luz de cima delas, as sílfides voltaram aos seus lugares junto à linha das árvores.”
Almanegra começa bem devagar, algo que não é surpresa dado o ritmo do primeiro livro. Apesar disto, o enredo traz grandes informações, apresentadas ao longo de toda a leitura. Os personagens estão mais diretos, isto é, conseguimos enxergar claramente as intenções de boa parte deles, bem como prever algumas atitudes perante alguém como Ana. Esta, por sua vez, está mais forte do que nunca, saindo até mesmo em defesa dos mais necessitados, afinal, ela já não é a única persona non grata. Muitas coisas acontecem neste livro, até mesmo um pouco de ação em determinados momentos.
“– As pessoas jamais aceitarão as almasnovas. Todo mundo sabe que você está cego por… – Olhou para mim. – Pelo que quer que esteja ocorrendo entre vocês. Nojento.”
O final é surpreendente, pois esclarece a maior parte dos questionamentos suscitados no primeiro livro. Apesar de ainda não ser o fim da trilogia, acredito que o desenrolar já fez um bom caminho, de forma que minhas expectativas para o terceiro volume estão grandes.
Meus amigos – … –, não podemos aceitar as almasnovas. Elas irão nos destruir. Ana será punida pelos seus crimes.”
Mais uma vez, a editora manteve a bela arte da capa, bem como a qualidade da parte interior. O livro é recomendado para quem curte distopias, romances e temas como reencarnação abordados de uma forma bem diferente.

18 comentários:

  1. Realmente, esta trilogia não é pra mim, rs. Mas a diagramação é linda, gostei muito do contexto em si, parece que deixa um gostinho de quero mais, e você fica ansiosa para o próximo livro. Não gostei muito do livro por abordar a reencarnação, não me dou bem com livros do tipo, mas me parece uma leitura leve e de bom entendimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É diferente mesmo, mas vale a tentativa, viu ? Dá uma chance a ele :)

      Excluir
  2. Hello!
    Ai que livro lindoooo...pra começar pela capa ne?!
    Eu ainda quero mtooo conhecer a trilogia e gostei mto da distopia, achei diferente e esse misterio todo me deixou bem curiosa...vou ficar de olho pra ver se acho um preço bom.
    Bjus

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha.
    Quero muito ler essa trilogia, a história parece ser super interessante e adoro livros que tenham mistérios e poderes, e a capa ta linda demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... tem muita coisa sendo abordada aqui, vale a pena :)

      Excluir
  4. Já vi algumas resenhas sobre o primeiro livro da trilogia, e me interesse bastante! A história aparenta ser ótima. Já vi alguns comentários sobre esse livro, muitos deles de forma negativa, alegando que o livro é bastante tedioso e que não acrescenta em nada. Apesar de tudo, continuo atraído pela trilogia. Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, ele é meio devagar, mas só se vc não curte um mistério, que tem de montão aqui :)

      Excluir
  5. Conheci essa série quando lançou esse livro que por sinal tem uma capa linda <3
    Ainda não li o primeiro, vou esperar o lançamento de todos os livros, mas a premissa de cada livro é maravilhosa, gostei de saber que mesmo com todas as dificuldades a protagonista se mantem forte e focada. E achei interessante o tema reencarnações, já que nunca li um livro que abortasse isso.
    Bjs!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, é bem diferente a abordagem e a capa tem um apelo daqueles ne? :)

      Excluir
  6. Não me interessei pelo livro. Não gostei muito da capa nem da historia, apenas acho que não é um livro para mim. Achei um um pouco complicado, lendo a sinopse ja não entendi algumas coisas, muitas informações ai ja viu me per o toda rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vixi, tem estilos que não nos atraem mesmo, ne? É assim mesmo :)

      Excluir
  7. Desde o lançamento de Alma Nova não me interessei nem um pouco pela série literária. Já tentei dar algumas chances para a trilogia, mas todas obtiveram falha. Esse eu passo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo. Tem livro que não é pra gente mesmo :)

      Excluir
  8. Achei que o livro fosse ser bem complexo, pois li a sinopse e fiquei O.o (What ??), mas ai, lendo a resenha, descobri que se trata do segundo livro de uma trilogia, aí tudo fez sentido =) !!
    Eu não sei, apesar de achar a capa legalzinha, o enredo não me conquistou, achei criativo, sim, mas pareceu-me que faltou algo, que não me convenceu e que a personagem não me conquistou.
    Ps.: Por que Ana é um nome que agrada tanto os escritores? Acho que já me perdi na contagem de personagens que se chamam Ana =P.

    ResponderExcluir
  9. Oie
    Tenho o primeiro livro dessa trilogia desde ano passado e mesmo a capa sendo linda e a história parecendo ser incrível até agora não o li.E eu adoro quando já no segundo livro muitas dúvidas são esclarecidas,pois alguns autores deixam pra fazer tudo no último segundo que os acontecimentos acontecem tão rapidamente que você nem se da conta.E a capa deste livro está tão linda quanto a primeira,espero que a não demore quase um ano pra lançarem o próximo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. seria bom mesmo, ne? Lançar rapidinho as sequências me atrai até pra séries que não tenho interesse :)

      Excluir

Gostou do post? Por que não faz um comentário e deixa uma blogueira feliz? :)