Resenha: After – Depois da Verdade, de Anna Todd


Após um começo tumultuado, Tessa e Hardin pareciam enfim no caminho certo. No entanto, por mais que soubesse o quanto ele podia ser cruel, uma revelação bombástica sobre o começo do relacionamento dos dois — e sobre o passado misterioso de Hardin — a deixa mais chocada e magoada do que nunca. Depois da verdade, será que o amor de Tessa e Hardin resistirá?

Depois da Verdade é a sequência de After (resenha aqui), livro produzido a partir de uma fanfiction da boyband britânica One Direction. A história, sucesso no Wattpad, provou que é sucesso também na versão impressa e conta com 4 livros. No Brasil, este é o segundo, porém teremos mais três ainda este ano, garantidos pela editora Paralela. Trata-se de um romance ao estilo new adult, com forte apelo hot e muitas páginas de amor e ódio entre os personagens (e também leitores!). 


Quando Tessa começa a faculdade, tudo o que ela quer é ler e se formar. Criada como a filha perfeita por uma mãe rigorosa, ela é certinha demais para alguém que precisa dividir o dormitório com uma estranha e conviver com as badalações das fraternidades. Logo ela conhece Hardim, uma incógnita humana: mal-humorado e hostil, mas extremamente bonito... já dá para saber no que isso vai dar, não é? Pois é, não. Eles não têm nada em comum e o desenrolar da história vai mostrar o quanto tudo só pode dar errado. E dá.

Não gosto dessa dinâmica. O amor não deveria ser uma batalha.”

Se você leu After, o primeiro livro da série, percebeu que a história é razoável, atraente a seu modo, porém extensa demais, isto é, o livro possui muitas páginas, mas nem tanta história assim. Isto é um fato, porém não altera em nada o meu estranho comportamento obsessivo-compulsivo durante a leitura. Tessa e Hardim não são mais um casal. Desde os acontecimentos que provocaram aquele intenso sentimento de raiva no final do primeiro livro, os personagens seguiram caminhos diferentes e tentaram continuar suas vidas. Tentaram não é a palavra ideal, pois não existem personagens mais conturbados e encrenqueiros do que os dois. Como água e óleo, os dois não conseguem ficar juntos sem se desentenderem. E não é só isso. A pior parte é deixarem que os outros influenciem suas decisões. Tudo bem um personagem ser confuso (tudo bem não, porque costumam ser uns chatos), mas isto não é o que eles são. Ao contrário de muitos romances por aí, os dois sabem muito bem o que querem e fazem questão de permitir que os outros saibam também. O problema é que um deles é problemático demais em todos os assuntos de sua vida. Hardim não pode existir! Digo isto porque não acho possível uma pessoa odiar tanto o mundo, a vida e a si mesmo como ele o faz. Odiar é tudo o que ele sabe fazer e, conhecer o amor não é exatamente o caminho mais fácil para alguém como ele, acostumado a afastar a todos quando bem entende.

-Não queria me meter, só perguntei porque o seu namorado não parece gostar muito de mim.
-Ah, o Hardin não gosta de ninguém, não é pessoal.”

O segundo volume segue a mesma linha do primeiro, mas transforma a trama em algo mais sério ao apresentar fantasmas ainda maiores dos personagens. O enredo traz todo aquele drama de idas e vindas, mas a situação só se complica ainda mais. Tessa é uma boa personagem, ainda que seu perfil tenha tudo para ser o de uma chata. É impressionante o quanto ela é compreensiva, e não de um jeito feio, mas genuíno. Hardim, por outro lado, só me desperta uma coisa: vontade de matá-lo. Apesar de todo drama que os dois conseguem criar nas situações mais bobas, a narrativa possui um ritmo delicioso. Mais uma vez, a editora fez um ótimo trabalho de diagramção e revisão. O meu exemplar veio com a capa antiga, mas parece que há uma nova, que ainda não vi pessoalmente.

-Você... me odeia mais do que antes?
-Não. Odeio igual.”

O final não é de partir o coração como o anterior, mas nos deixa com uma curiosidade daquelas ao introduzir um novo personagem, capaz de abalar o psicológico de Tessa (mais do que já está) e, talvez, proporcionar novos conflitos na vida do casal mais maluco dos new adults que tenho lido. A história pode até não agradar a todos, mas é inegável o fato de que a maioria de nós vive, ou já viveu, um romance assim: tem tudo para dar errado, dá tudo errad, mas do qual ninguém quer desistir. 
Para finalizar deixo um videozinho lindo da minha estrela favorita, que sabe muito bem o que dizer de histórias assim (para quem não sabe, Harry Styles seria a inspiração para o personagem Hardin e, certamente possivelmente para a composição de Style, que você ouve a seguir).


Status: Shippando #Hessa eternamente.

3 comentários:

  1. Amiga eu tenho bastante interesse de ler esse livro, porque além da capa ser linda, a história no qual você abordou em sua resenha me deixou muito curiosa para conhecer esses personagens, principalmente uma pessoa assim como eu que ama ROMANCES de montão!

    Espero ter a oportunidade de ler assim que puder, porque gostei da maneira como você falou sobre a história e também seu ponto de vista sobre ele. Ficou uma resenha muito boa. Parabéns =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/04/resenha-o-caso-pedrinho.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lê sim, você vai gostar e não vai conseguir largar :)

      Excluir
  2. Só tenho algo a dizer. Essa série é uma droga!!! Pois testou completamente viciada. Depois de lê o livro 1, sai correndo para ler os outros, e aguardo ansiosamente o 5 e os spin - of. OMG! u amo e odeo Hardin,com pode? nunca li uma historia assim, é apaixonante. Geralmente os bad boys ficam bonzinhos com o amor da protagonista, ele não. Ele tenta controlar o genio, é fofo as vezes, mas continua bad. Ache isso tão real, pois ninguém muda de uma hora para outra na vida real.
    Sou Hessa forever..

    ResponderExcluir

Gostou do post? Por que não faz um comentário e deixa uma blogueira feliz? :)