Conheça a série Alien Huntress, da Gena Showalter

Alien Huntress é uma série interessante e pouco conhecida, já que não foi publicada no Brasil. Digo interessante porque trata de aliens sob um ponto de vista diferente. No mundo criado por Gena Showalter, alienígenas de diversos planetas invadiram a Terra há vários anos e uma batalha mortal se instalou, dizimando recursos naturais, animais e tornando os homens hostis aos visitantes. 


O fato é que, assim como os humanos, os aliens também possuem personalidade. Logo, alguns são bons, honestos e só buscam um refúgio para sua sobrevivência, outros são maus e buscam a destruição, escravidão e outras atrocidades. A invasão se deu através de portais e só agora os homens retomaram o controle, ou quase isso, organizando-se para lutar contra aqueles que querem o mal.

A Alien Investigation and Removal (AIR) é uma agência de controle, que promove investigação e extermínio de aliens hostis, cujo lema é “atirar primeiro, perguntar depois”. Assim, todos os livros da série giram em torno da agência, protagonizados por alguns de seus agentes, porém em situações bem diferentes. A série possui seis livros, pelo que consegui descobrir, embora só tenha encontrado os dois primeiros. É uma série mais pesada, nada de extraordinário, mas com uma linguagem adulta e cheia de palavrões, sendo que os personagens são adultos e muito “sexies”. Na verdade, existe uma pequena série, paralela a esta, em forma de young adult, cuja linguagem e protagonistas são adolescentes, porém são apenas dois livros.

Li os dois primeiros volumes da série original e os dois young-adults, mas confesso que gostei mais dos últimos. Não curto muito linguagem pesada, mas ainda assim consegui assimilar o mundo criado por Gena de forma bastante satisfatória para uma devoradora de YA's. Como não li a série completa, não pretendo resenhar os livros que li, mas deixar apenas breves impressões.





Alien Huntress #1 – Awaken Me Darkly


Mia Snow é uma das mais poderosas agentes da AIR e se encontra em uma importante missão para desvendar bizarros assassinatos de humanos cuja autoria só pode ser de aliens. Logo, pistas a levam em direção a determinada espécie, chamada Arcadian. Os Arcadians são muito parecidos com os humanos, embora sejam muito pálidos e tenham os cabelos totalmente brancos, além de poderes/habilidades especiais. Durante as investigações, seu parceiro acaba gravemente ferido, o que a deixa sem chão. Logo, ela recebe uma suspeita proposta de um Arcadian muito sexy, que promete devolver a vida a seu amigo se ela concordar em ajudá-lo. Sempre desconfiada, Mia não cede facilmente, mas ao mesmo tempo descobre detalhes inesperados sobre sua própria vida, e acaba envolvida nos planos que tanto quer destruir.


Confesso que gostei do livro, em termos gerais, mas os maiores pontos vão para Kyrin, o arcadian supersexy e fofo, que põe Mia em seu devido lugar, sem quase nenhuma qualquer violência. Mia e Kyrin têm uma fofa relação de amor e ódio que funciona à base de muito socos e chutes no traseiro. Durante o desenvolvimento da trama, consegui visualizar um pouco do mundo repleto de humanos e alienígenas, mas sem muito aprofundamento. Gena explica só o básico, como as possíveis razões para a invasão dos seres e sua permanência, mas a forma como esta se deu não é muito bem explicada. Tudo o que se sabe é que eles utilizam portais, mas ninguém (humano) sabe como funcionam. Não entendi muito bem o propósito do grande vilão neste primeiro volume, já que os fatos são narrados de forma superficial, deixando alguns detalhes esquecidos ou ignorados.

O desfecho é básico. Não deixa pontas no quesito para a sequência, mas também não apresenta um grand finale daqueles.




Alien Huntress #2 – Enslave Me Sweetly


Eden Black é uma Raka, espécie de alienígena de pele e cabelos dourados, mas foi criada por Michael, um humano que caça aliens perigosos. Assim, ao lado do pai, ela defende os inocentes e caça/mata qualquer um que se enquadre no rol dos hostis e perigosos. Logo no início, ela fracassa em uma missão importante, o que a obriga aceitar um “parceiro”. O tal parceiro, é Lucian Adaire, contratado por Michael para livrar/vigiar/ajudar Eden em suas missões. Ela, claro, é durona demais para concordar, mas não tendo escolha, acaba aceitando a terrível e sexy compania de Lucian. Desta vez, a investigação gira em torno de alienígenas escravagistas. Pessoas estão sendo sequestradas e enviadas como escravas para outros mundos, mas como? 


Para chegar o mais próximo possível da verdade, Eden, com sua pele dourada, se “oferece” como isca aos prováveis malfeitores. Embarcando em uma falsa nova vida, com Lucian disfarçado de mal caráter, ela luta pela vida de pessoas que nem sabe se estão vivas, mas também se põe em risco.

Se eu puder comparar este segundo livro ao primeiro, já digo que este não é tão bom. Talvez porque não há mais aquele sentimento de novidade, mas também porque a personagem Eden não conquista. Ela é mais vazia e robótica, além de quase não parecer uma alienígena, já que suas questões, quase sempre, são fúteis e dignas de uma adolescente de Ya. O Lucian também não me inclinou a qualquer opinião. A atração carnal que eles sentem segue a mesma linha do primeiro livro, mas sem luz ou, sabe-se lá o quê.



Alien Huntress #3 - Savor Me Slowly



Mishka Le'Ace foi criada para ser um agente secreto... literalmente. Seu belo corpo foi aumentado mecanicamente para dar-lhe força sobrehumana, e ela vai precisar. Sua última missão lhe enviou para resgatar o agente da AIR Jaxon Tremain da tortura e da morte. Com ele, ela descobre uma paixão diferente de qualquer outro. A paixão que ela foi proibida de conhecer...”



Bem, não posso emitir qualquer opinião a partir deste terceiro livro, já que não li. O que posso dizer é que, mais uma vez, temos membros da AIR envolvidos no foco principal da história. Aliás, o agente Jaxon é um velho conhecido de quem leu o primeiro livro, já que ele teve um papel importante na história ao ajudar Mia com seus planos.



Alien Huntress #4 – Seduce The Darkness



A guerra entre otherworlders e os seres humanos da Terra mudou além do reconhecimento. Também salvou a vida de Bride McKells. Antes, a bela vampira era um alvo para cada fanático com uma estaca e um crucifixo. Agora, ela está livre para vagar pelas ruas - e desesperada para encontrar outros de sua espécie. Um homem afirma ter as respostas que procura. Devyn, rei dos Targons, é um guerreiro e um mulherengo, e não faz segredo do quanto ele quer Bride - e quão perigoso ele poderia ser para ela, em todos os sentidos. Ávido colecionador de mulheres, Devyn facilmente seduz humanas e otherworlder. Até agora. Bride não só resiste, mas deixa em Devyn uma sensação de algo inteiramente novo... uma profunda necessidade que beira a obsessão. Seu sangue é a chave para a cura de vícios alienígenas, mas ajudando Bride a desvendar suas origens, vai obrigá-la a escolher entre a paixão eletrizante e um destino que poderia afastá-la seu do lado de Devyn para sempre.”



Não comentei antes, mas na série de Gena Showalter, os tais alienígenas são todos chamados de otherworlders, que seria algo como outro mundo. Não quis usar o termo porque achei estranho demais, mas enfim, nesta sinopse não pude escapar. Mais uma vez, ao menos um personagem é velho conhecido. Neste caso, o Targon Devyn, que aparece no segundo livro da trama e tem uma passagem importante na vida de Eden. Confesso que a sinopse do terceiro livro não me animou muito, mas este quarto, sim. Gostaria de ver um pouco do Devyn, que deixou claro, anteriormente, que sua importância não seria esquecida na série. Basicamente, o “cara” é um rei em seu planeta devido aos poderes grandiosos que possui. Também gosta muito de fêmeas, razão pela qual está sempre à procura de novas mulheres, humanas ou não. Acredito que daria boas risadas irônicas neste livro.



Alien Huntress #5 – Ecstasy In Darkness



Crescendo em meio às ruas pobres de Nova Chicago, Ava Sans tinha duas opções: ser o predador ou ser a presa. Agora, trabalhando para AIR, ela foi ordenada a capturar o maior e pior guerreiro de todos, um vampiro bonito demais para ser real, com a capacidade de manipular o tempo. Uma vez que o líder de todo o exército de vampiros, McKell foi considerado selvagem e instável, rejeitado até mesmo pela sua própria espécie. Para McKell, os seres humanos não devem ser nada mais do que o sustento. No entanto, a pequena, de pele dourada Ava é uma fascinante contradição: viciosa e espirituosa, forte e vulnerável, letal, mas ferozmente leal. Contra seu melhor julgamento, McKell anseia sua lealdade, e muito mais. Quando a perseguição leva à sedução, McKell e Ava vai caminham para descobrir a verdade sobre seu passado. Mas as respostas virão a um preço, mesmo para uma mulher que achava que não tinha mais nada a perder.”



Bem, nada a declarar. Não sei nada sobre estes novos personagens, então...



Alien Huntress #6 – Dark Taste of Rapture



Hector Dean (…) tem um segredo mortal. Ele é uma arma ambulante, capaz de matar com um simples toque de seus dedos. Não é de admirar que ele está determinado a permanecer sozinho. Mas Noelle Tremain é uma tentação como nenhuma outra. Ela é linda e rica, com um sorriso de menina animada que esconde uma vulnerabilidade chocante, e desde o início a atração escaldante a ela é inegável. Pela primeira vez, a sua fria resistência é testada. Mas, para ficar com ela, ele corre o risco de destruí-la. Quando um rico empresário é assassinado no distrito de Nova Chicago, os dois fazem uma parceria, e não há como escapar do que tanto desejam: um ao outro. No entanto, nem Hector nem Noelle sabem o que mais devem temer, o caso do assassino, ou os seus próprios desejos letais.”

Outra vez, não sei nada a respeito dos personagens, então também não tenho nenhuma pista.



Ao que parece, a série vai até aí mesmo, já que não encontrei nenhuma sequência após este sexto livro. Existe um #4.5, chamado Deep Kiss of Winter, com personagens também desconhecidos, mas prefiro não comentar nada, já que não tenho nada a dizer (Santa redundância!).



A série Young Adult Alien Huntress, apresenta o mesmo mundo, mais ou menos na mesma época da série adulta, porém o foco se encontra em adolescentes aspirantes a agentes da AIR. Ainda se tem muita pancadaria e dramas cruéis, mas abordados de forma mais leve.



Young Adult Alien Huntress #1 – Red Handed 

Phoenix Germaine esteve bastante viciada em certa substância alienígena e, por uns tempos, andou totalmente fora do ar, deixando sua mãe muito decepcionada. Mas ela está lutando para voltar ao que era antes, o quenão é nada fácil, visto que a maioria dos jovens de sua idade procuram diversão e viagens nas tais substâncias ilegais e, também fatais. Ela mal está de volta da reabilitação e já sai escondida de casa para uma festa ao ar livre. Lá, seus amigos consomem bebidas e drogas enquanto ela luta contra a tentação. Enquanto sua força interior se mostra uma aliada, uma grande tragédia se encaminha. Um grupo de aliens sugadores de água corporal invade a festa e ameaça a vida dos jovens, praticamente indefesos. Para sua sorte, Ryan Stone, uma cara muito gato e irmão de uma colega de escola, está por perto e demonstra saber mais do que os outros. Juntos, eles combatem os tais alienígenas e Phoenix acaba sendo convidade a entrar para a AIR como aluna
 

Na AIR, ela descobre diversos fatos que jamais imaginaria ocorrerem e serem relacionados aos aliens malvados. Ela percebe que lá é seu lugar, ao mesmo tempo que tenta provar que venceu o vício e é capaz de ser uma grande agente. Não há nada novo nesta versão de Alien Huntress. Por se tratar de um YA, a linguagem é um pouco mais leve, mas o foco ainda são alienígenas inescrupulosos e romances proibidos. Claro que para ficar com Ryan, Phoenix terá que enfrentar alguns problemas, mas não há um grande drama, apenas coisas naturais da posição em que se encontra na AIR. Apesar de jovem, ela não é nada boba e parece ter vivido muitas experiências, o que dispensa maiores explicações e dramaticidades. Gostei bastante deste gênero na série, embora não tenha tanto foco nos alienígenas e suas particularidades.




Young Adult Alien Huntress #2 – Blacklisted


Este segundo e, aparentemente último livro da série de Young Adult dos aliens me parece mais interessante do que o primeiro. O romance, as motivações e a situação em geral são mais consistentes. Aqui, temos uma clara continuação do primeiro, com grande presença dos personagens anteriores, embora a protagonista seja um novo personagem.


Camille Robins se envolve em uma grande confusão ao aceitar sair com uma amiga escondida. Juntas, elas se infiltram num clube noturno, ainda que sejam menores, apenas para encontrarem os garotos em quem estão de olho: os amigos Erik e Silver. Lá dentro, parece que os garotos estão envolvidos com qualquer coisa menos interessados nelas. Não que isso as impeça de persegui-los. Logo, Camille descobre, da forma mais desagradável e dolorosa, que Erik não é o colega de escola que imaginava ser. Ele está envolvido em algum esquema ilegal de venda de substâncias alienígenas. Mas por que? Ele é ex integrante da AIR, e foi expulso ao ser descoberto. Agora, é procurado por suas ex colegas e acaba em fuga, alegando ter fortes motivos para fazer o que faz, ilegalmente. Ela terá que escolher entre entregá-lo ou ficar a seu lado.
 

Gostei bastante deste volume. Erik já era um personagem conhecido de Red Handed. Embora não fosse o principal, já haviam pequenas alusões a sua personalidade um tanto fofa e digna de aprofundamento. O romance é bem racional e nada hot, mas a lógica da situação faz sentido e conquista. A Camille, ao contrário da Phoenix, é super crua, inexperiente e chega a chorar pela mamãe. Sério! Em dado momento, ela está tão apavorada que começa a pensar no quanto quer estar em casa sob a proteção dos pais. Sua inocência também tem pontos positivos, pois torna mais fácil entender como ela foi parar naquela confusão.



Como só li quatro dos oito livros, posso dizer que foi uma leitura divertida, hot e esquisita. Não sinto necessidade de ler os outros volumes, mas seria válido. De todos, gostei mais do primeiro da série adulta e do segundo YA, mas cada um rendeu boas risadas e “what the hell”. Gena Showalter é a autora da série Interligados, da qual sou fã, mas confesso que encontrei em AH, uma leitura bem diferente da que estava habituada. Diferente, mas interessante.

2 comentários:

  1. olá,gostei muito do post,sera que você poderia me dizer onde posso encontrar os livros sobre o Ecstasy in darkness e o livro Dark taste of rapture? Desde já agradeço! Meu email é adileiaarruda@gmail.com.

    ResponderExcluir
  2. boa tarde. li os 2 primeiros livros da série ¨assassinos do outro mundo ¨ da mesa autora que tem esses personagem só que secundários , vc tem como me enviar essa série , pois gostei da que tó lendo, obrigada , meu e-mail é barbosa20111@live.com

    ResponderExcluir

Gostou do post? Por que não faz um comentário e deixa uma blogueira feliz? :)