Resenha: Vestígios da Terra [Através do Universo #3] – Beth Revis


Finalmente Amy e Elder se veem livres das angustiantes paredes da nave espacial Godspeed. Agora, estão prontos para começar uma nova vida e construir seus lares em Terra-Centauri, o planeta que desejavam tanto conhecer, viajando trilhões de quilômetros para encontrá-lo. Porém, essa nova Terra não é o paraíso que esperavam encontrar. Os dois precisam descobrir quem, ou o quê, também habita o planeta, se quiserem ter alguma esperança de salvar sua colônia e construir um futuro juntos. A cada nova descoberta, novos problemas surgem, e Amy e Elder terão de entrar em sua mais perigosa jornada: olhar para dentro de si mesmos e entender o que os torna seres humanos. E se a colônia entrar em colapso? Conseguirão os viajantes reunir todos os sobreviventes em um mesmo objetivo? Descubra a fascinante conclusão de Através do universo, a série best-seller do New York Times que conquistou milhares de leitores pelo mundo com histórias de romance, mistério, ação e suspense.



Vestígios da Terra é terceiro volume da trilogia distópica Através do Universo, escrita pela autora Beth Revis e publicada no Brasil pela Novo Século. O livro traz a conclusão da fantástica jornada da nave-arca Godspeed, que saiu da Terra em direção a Terra-Centauri, um planeta com condições de vida favoráveis aos seres humanos.



Quem acompanhou os livros anteriores, Através do Universo e Um Milhão de Sóis, percebeu que a vida em Godspeed se tornou complicada o bastante para se colocar em risco a sobrevivência de todos. Elder, jovem demais para se tornar o líder da nave, porém o único realmente capaz, por uma questão genética, se viu forçado a tomar a frente de todos e manter Godspeed funcionando. Mais do que isso, sobrevivendo. Descobrir que a nave já deveria ter chegado ao destino há muitos anos só complicou ainda mais a situação, pondo em dúvida até mesmo sua liderança. Amy, a garota que ainda deveria estar congelada ao lado de uma centena de militares preparados para a colonização do novo planeta, nunca conseguiu conquistar a confiança das pessoas nascidas na nave, mesmo ao se colocar ao lado de Elder. Ao longo de algumas centenas de anos, a nave vivenciou terríveis provações, motins e perdas inestimáveis, tudo porque, em dado momento, alguém percebeu que a missão não era exatamente aquela que lhes fora passada. Logo, Elder e Amy descobriram da pior maneira que alguém ali dentro estava sabotando sua única casa no momento e, após diversas perdas, encontraram a única solução para a sobrevivência de parte das pessoas: precisavam pousar em Terra-Centauri. Mas como, se o planeta parecia abrigar monstros e, segundo seus antepassados, seria muito melhor se ficassem em Godspeed para sempre?


Pois bem, Vestígios da Terra se inicia com a terrível partida de uma parte da tripulação, rumo ao desconhecido. Amy e Elder lideram a jornada, que se mostra a cada momento mais perigoso. Nem todos sobrevivem à chegada, mas o pior é o que encontram no planeta. Habitada por seres bizarros e assustadores, Terra-Centauri ainda é a única chance de sobrevivência daquelas pessoas, que já não poderiam dividir espaço com o restante que permanecera em Godspeed. Os capítulos ainda se alternam entre os pontos de vista de Elder e Amy, mostrando um grande amadurecimento dos dois, que vêm conhecendo o pior do peso da responsabilidade há algum tempo.


Como falar do fim de uma série, neste caso, trilogia, que tanto me encantou desde o início. Já falei por aqui que sou apaixonada pelo tema espaço/galáxia e, confesso que em um primeiro momento foi a capa de Através do Universo que me atraiu. O ritmo dos livros não é o mais ágil, mas contém o bastante em termos de suspense e drama. Quando a ação chega, é quase impossível parar para respirar. Este último volume, aliás, me pareceu até mais frenético em relação aos anteriores. Aqui tudo está girando muito rápido, muitas descobertas, várias sensações e, finalmente, o vento está soprando e o sol (sóis) está nascendo. Para a tripulação nascida em Godspeed, nada poderia ser mais fantástico, e assustador, do que estar fora dela. A grande sacada da autora é deixada mesmo para o final, com uma explicação muito simples e, ao mesmo tempo, perfeita, para o atraso de Godspeed e o medo dos antepassados. Nem tudo é o que parece e, na maioria das vezes, o ser humano é mesmo o seu pior inimigo...


Terminei a leitura do livro com o coração arrasado, mas também satisfeito ao comprovar que algumas coisas não têm conserto, embora um novo começo seja sempre possível, ainda que sob um novo céu. Não acho que a distopia poderia ter terminado de melhor forma. Não senti qualquer decepção com o final, ao contrário de outras trilogias distópicas que finalizei no ano passado. Finalmente Amy e Elder estão em casa.

"Não posso fazer nada sobre o passado. Mas não vou deixar que esse tipo de coisa aconteça de novo no meu planeta, no meu lar."

"Nunca desistirei de meu lar novamente."

2 comentários:

  1. Oi :D

    Também fiquei apaixonada pelas capas da trilogia (passei a conhece-las depois do seu post sobre galáxia) mas não é um tema que costuma me chamar tanta atenção, ao ler sua resenha, apesar de ficar um pouco perdida por não ter lido a resenha dos outros livros, eu acabei gostando da história. Foi esse suspense misturado com drama que me deixou curiosa, gosto disso em livros !! Vou dar uma procurada pra saber mais sobre eles .
    Bj :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história toda é ótima, mas o último é arrasador :)

      Excluir

Gostou do post? Por que não faz um comentário e deixa uma blogueira feliz? :)